Temer quer reduzir salário mínimo a R$500

“Se pegarmos o salário mínimo ao longo dos últimos 13 anos, teve um aumento acima da inflação de 77%”, afirma Rossetto. “Não fosse a política de aumento acima da inflação, tivéssemos nós uma política de gastos limitados à inflação, este salário mínimo seria de R$ 500 e não de R$ 880. Esses números começam a dar conta da gravidade da situação”, disse Rossetto em entrevista à Agência PT de Notícias. Rossetto avaliou que a mudança na política de salário mínimo é um dos pontos da agenda de Temer, um programa “ultraliberal do ponto de vista econômico e ultraconservador do ponto de vista social”, que já foi rejeitado pelo voto em quatro eleições seguidas.

Ele enfatiza que se mantivermos a inflação como limite para os gastos, nos próximos 20 anos o país voltará ao patamar de 1997 em relação aos investimentos sociais. “Teremos um país com uma renda mais concentrada, com mais exclusão social e seguramente com a eliminação de grandes programas como o Bolsa Família, o Fies, o Minha Casa, Minha Vida”, afirma.

Anúncios