Apeoesp questiona Alckmin, que não descontou em folha contribuições ao sindicato

O Sindicato dos Professores do Ensino Oficial no Estado de São Paulo (Apeoesp) questiona versão da Secretaria da Fazenda (Sefaz) e da São Paulo Previdência (SPPrev), sobre a suspensão do desconto em folha de professores aposentados filiados ao sindicato.

De acordo com os órgãos estaduais, que publicaram nota conjunta na última sexta-feira (1º), a responsabilidade é do próprio sindicato, que só detectou erro nos dados fornecidos após o encerramento do cronograma mensal. Com isso, segundo o governo, já não seria mais possível reprocessar a folha de pagamento de cerca de 950 mil servidores ativos, aposentados e pensionistas. Ainda segundo a nota, uma auditoria constatou irregularidades no sindicato, que culminou com a aplicação de advertência e multa no valor de R$ 27 mil.

A presidenta da Apeoesp, Maria Izabel Azevedo Noronha, a Bebel, classifica como uma “arbitrariedade” a ação do governo de Geraldo Alckmin (PSDB), que ameaça suspender também os descontos das mensalidades dos associados da ativa – exigindo que o sindicato faça a cobrança das contribuições por meio de boleto bancário.

Anúncios