Dilma: “O lado certo da história é a democracia”

Ela lembrou que “o lado certo da história é a democracia” e disse que gostaria de ser lembrada como “a primeira mulher presidenta que superou um impeachment sem base”. Ela voltou a fazer críticas ao governo interino e à retirada de direitos.

Ao longo da entrevista, ela também fez críticas à imprensa tradicional – lembrou que a Globo “tentou construir algo que depois desmoronou” ao “passar a imagem de que as manifestações de rua a favor do impeachment eram todas contra a corrupção”.

“Tentou fazer com que quem fosse contra a corrupção era também contra o impeachment. Essa igualdade passava uma impressão de que ao seguir pra rua você estava salvando o Brasil”, continuou Dilma.

Anúncios