IndustriALL Global Union debate trabalho precário na fabricação de calçados

Nos dias 20 e 21 de outubro, a IndustriALL Global Union realizará um importante seminário voltado ao combate do trabalho precário na fabricação de calçados no Brasil. O evento acontecerá em Jaú, em parceria com o sindicato local dos trabalhadores calçadistas e com o apoio da Confederação Nacional dos Trabalhadores/as do Ramo Vestuário da CUT, CNTRV, e da Federação dos Trabalhadores nas Indústrias do Couro, Calçados e Vestuarista do Brasil, Fetracovest. Elias Soares, que coordena o projeto “Combate ao Trabalho Precário”, mantido pela IndustriALL no Brasil, adianta que o evento pautará os problemas mais prejudiciais aos trabalhadores e trabalhadoras calçadistas.

“A realização do Seminário será um marco para o fortalecimento da luta no combate do trabalho precário dentro e fora das fábricas de calçados. Esta luta terá como objetivo central a geração de mais e melhores empregos no setor calçadista. Acreditamos que as empresas também serão beneficiadas, pois há uma competição desleal no mercado ocasionada pelo trabalho precário”, aponta Soares.

O presidente do Sindicato dos Calçadistas de Jáu, Miro Jacintho, destaca que “o trabalho precário na fabricação de calçados se apresenta, principalmente, por meio das chamadas bancas (oficinais domésticas que realizam parte do processo produtivo das peças). Nestes espaços, milhares de trabalhadores são subcontratados de forma extremamente precária, sem registro em carteira e sem respeito à legislação trabalhista e Convenção Coletiva de Trabalho”.

Tarefa tripartite

A programação do Seminário denominado “Combate ao Trabalho Precário na Fabricação de Calçados” prevê um debate tripartite, ou seja, entre trabalhadores, empresários e poder público, com objetivo de estabelecer um diálogo social focado na superação dos problemas. O debate acontecerá no dia 20 de outubro, a partir das 14h. Para garantir a diversidade de opiniões, os organizadores do evento enviaram convite para o Ministério do Trabalho, Ministério Público do Trabalho, Tribunal Regional do Trabalho, Prefeitura de Jaú e sindicatos patronais.

A IndustriALL

Fundada há quatro anos, a entidade representa cerca de 50 milhões de trabalhadores dos setores metalúrgico, químico, mineração, energia e têxtil em 140 países espalhados por todos os continentes do Globo. Nascida da fusão de três federações internacionais (metalúrgicos, químicos/petroleiros e têxteis), sediada em Genebra (Suíça) e com cinco escritórios regionais, a IndustriALL está à frente de ações globais importantes para combater o trabalho precário e garantir direitos iguais em multinacionais.

Atualmente a entidade mantém alguns projetos no Brasil e na América Latina, como o de Combate ao Trabalho Precário, por exemplo. O Brasil foi o país escolhido para sediar o 2.º Congresso da IndustriALL, que aconteceu na cidade do Rio de Janeiro, de 4 a 7 de outubro. Na ocasião o brasileiro e metalúrgico Valter Sanches foi eleito novo Secretário Geral da entidade. A trabalhadora química Lucineide Varjão foi outra brasileira eleita para um cargo de destaque na IndustriALL. A sindicalista, que atualmente preside a Confederação Nacional dos Trabalhadores/as Químicos da CUT, é a nova co-presidenta da IndustriALL na América Latina e Caribe.

Anúncios