Trabalho dedicado ao bem-estar de todos

No Dia do Sapateiro (a), 25 de outubro, o Sindicato parabeniza todos calçadistas pela dedicação

 

Sapateiro (a) é uma profissão das mais importantes para o Polo Calçadista de Jaú e Capital do Calçado Feminino. Hoje, 25 de outubro comemora-se o Dia do Sapateiro (a).

O presidente do Sindicato Miro Jacintho destaca que sente orgulho de ser trabalhador da categoria dos calçadistas, também conhecida pela nobre função de “sapateiro”(a).

“É um trabalhador (a) dedicado e só tenho a parabenizar a todos os ‘sapateiros’ e ‘sapateiras’ por serem de um segmento produtivo tão importante para Jaú”, ressalta.

Jaú emprega 4.592 calçadistas com carteira assinada, conforme dados recentes do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), do Ministério do Trabalho e Emprego. Porém se sabe que este número mais que dobra considerando-se as ‘bancas’ (oficinas caseiras).

 

Pelo ‘sapateiro’ pela ‘sapateira’

A melhor forma que o Sindicato Calçadista encontra para comemorar o Dia do Sapateiro (a) é garantir diariamente melhores condições de trabalho e remuneração para a categoria.

Na semana passada (quinta e sexta), o Sindicato protagonizou em Jaú o seminário “Combate ao Trabalho Precário na Fabricação de Calçados”, realizado pela IndustriALL Global Union e também apoiado pela Confederação Nacional dos (as) Trabalhadores (as) do Ramo Vestuário da CUT (CNTRV) e pela Federação dos Trabalhadores nas Indústrias do Couro, Calçados e Vestuarista do Brasil (Fetracovest).

O evento definiu uma série de ações práticas para combater o trabalho precário na categoria. O evento mobilizou o Sindicalçados (representante dos patrões), poder público e trabalhadores (representados pelo Sindicato) numa mesa tripartite, que estabeleceu o compromisso de intervir na precarização do trabalho, em especial das ‘bancas’.

seminariomiro
Miro aborda questões dos calçadistas de Jaú durante seminário

 

 

Você sabia

Data de 1305 (século passado) a oficialização da profissão de sapateiro na Inglaterra, quando o rei Eduardo I estabeleceu padrões a serem seguidos para confecção de sapatos.

O uso do calçado foi registrado no Egito Antigo entre de 2000 a 3000 a.C (antes de Cristo), na forma de sandália de trança feita com cordas de raízes.

Anúncios