Combater a retirada de direitos é prioridade para o Ramo Vestuário da CUT

Documento contendo resoluções da direção executiva da CNTRV orienta as entidades filiadas

Reunida em Natal (RN), nos dias 17 e 18 de novembro, a direção executiva da CNTRV/CUT definiu uma série de ações para o próximo período. Organização da juventude, formação, comunicação, ação sindical de base e fortalecimento da agenda de luta contra a retirada de direitos estão entre as resoluções.  “O objetivo central das resoluções é sistematizar uma séria de ações que visem o fortalecimento do Ramo Vestuário da CUT junto aos trabalhadores e trabalhadoras na luta em defesa dos direitos sociais e trabalhistas atacados de forma sorrateira pelo governo de Michel Temer”, frisou Cida Trajano, presidenta daÂncora CNTRV.

Confira documento na íntegra:

Natal, 18 de novembro de 2016.

RESOLUÇÕES DA EXECUTIVA NACIONAL DA CNTRV-CUT

A Direção Executiva da Confederação Nacional do Ramo vestuário da CUT, CNTRV, reunida em Natal – Rio Grande do Norte, nos dias 17 e 18 de novembro, fez uma análise de conjuntura política e discutiu um conjunto de orientações para os sindicatos filiados na busca de realizar um enfrentamento ao governo ilegítimo de Michel Temer. Estas orientações têm como foco as ações políticas para o fortalecimento dos sindicatos e assim combater a retirada de direitos deste governo golpista que está aliado com os patrões e a mídia de direita e golpista.

Diante dos novos cenários político e econômico que vêm se constituindo no pós-golpe, reafirmamos a importância de atualizar a nossa estratégia de ação para um longo e duro período de luta e de resistência por parte da classe trabalhadora.

Na avaliação da direção executiva da CNTRV-CUT, para atingir seu objetivo de restauração neoliberal, as forças que apoiaram o golpe não se importam em colocar em risco a democracia brasileira e desconstruir o Estado de Direito.  Seu objetivo é destruir o projeto de desenvolvimento com inclusão social desenvolvido nos últimos 14 anos, substituir a política externa deste período, altiva e ativa, por uma política subalterna aos interesses das empresas multinacionais e das potências centrais do sistema capitalista, defensoras, o plano internacional do ideário neoliberal.

O projeto das forças golpistas é conhecido por todos nós: a defesa do Estado mínimo e da política de austeridade para combater a crise econômica; a diminuição do investimento na proteção social para sobrar recursos para pagar juros da dívida pública e enriquecer ainda mais os setores rentistas da sociedade, como proposto pela PEC 241 aprovada na câmera dos deputados e agora a mesma com nome de PEC 55 que irá ao Senado federal ; a retirada de direitos trabalhistas para aumentar o lucro das empresas; a privatização de empresas e serviços essenciais  e a entrega, a preços irrisórios,  de nossas riquezas, como o Pré-Sal, à exploração de empresas estrangeiras; a criminalização dos movimentos sociais e  a brutal repressão aos participantes em atos de oposição e resistência às arbitrariedades do governo; a ação da Lava Jato, que prende suspeitos de crime com base em processos de delação ou em suposição  de que tenham cometido crime; a cumplicidade do poder judiciário com o processo de impeachment da presidenta Dilma e os recentes julgamentos do STF retirando direitos dos/as trabalhadores/as.

Esses processos estão intimamente entrelaçados. Significam a inequívoca ruptura do Estado de Direito e a transição em direção a um regime de exceção, acobertado pela imagem transmitida pela mídia de normalidade democrática e respeito às normas constitucionais.

Contra essa agenda regressiva, a CUT vem mobilizando suas bases, organizando os trabalhadores e trabalhadoras nas mobilizações e greves, como foi realizado no dia 11 de novembro. Por isso nossa palavra de ordem é NENHUM DIREITO A MENOS!

Com objetivo de organizar os sindicatos do ramo vestuário, a direção executiva nacional da CNTRV-CUT orienta os sindicatos filiados a desenvolver as seguintes ações:

  1. Com o objetivo de preparar e capacitar os dirigentes sindicais no ramo vestuário, orientamos que os sindicatos realizem reuniões da diretoria nos sindicatos e nestas reuniões realizem análise de conjuntura política, buscando convidar dirigentes da CUT (estadual e nacional) ou do ramo Vestuário para fazer o debate político com os dirigentes sindicais;
  1. Que os sindicatos filiados realizem cursos de formação sindical e política para os dirigentes sindicais, na busca de qualificar a atuação sindical e constituir uma matriz ideológica para os dirigentes sindicais, na busca de compreensão do projeto político da classe trabalhadora;
  1. Que os sindicatos filiados realizem plenárias e atividades com a juventude trabalhadora e a juventude na sociedade, como também se aproximar e desenvolver relações políticas com movimentos de ocupações dos jovens nas escolas e universidades;
  1. Que os sindicatos filiados realizem assembleias nas portas de fábricas para alertar e conscientizar os trabalhadores e trabalhadoras sobre a retirada de direitos promovidas por este governo golpista e patrões que querem fazer uma reforma trabalhista;
  1. Que os sindicatos filiados façam boletim e jornal nos sindicatos para conscientizar os trabalhadores sobre a tentativa de retirada de direitos pelos patrões e governo golpista e governo ilegítimo, alertando os riscos para classe trabalhadora, buscando entregar estes jornais e boletins em mãos aos trabalhadores e trabalhadoras;
  1. Que os sindicatos filiados construam relações políticas com os movimentos sociais na busca de constituir parcerias para enfrentamento ao governo golpista e ilegítimo;
  1. Que os sindicatos façam a confecção de faixas e bandeiras, como também materiais de divulgação para utilizar nas mobilizações, passeatas e greves.

É fundamental que todas nossas entidades filiadas se integrem nesta luta, levando esta discussão para os locais de trabalho e fazendo o diálogo com os/as trabalhadores/as, advertindo-os/as dos riscos que estão correndo.

Junto da bandeira NENHUM DIRFEITO A MENOS, erguemos outras, que expressam nossa posição e o sentido da nossa luta política neste momento: FORA TEMER! DIRETAS JÁ! REFORMA POLÍTICA COM CONSTITUINTE EXCLUSIVA E SOBERANA.

Direção Nacional executiva da CNTRV-CUT

 

Anúncios