13 de dezembro: todos a Brasília por Diretas Já

Na manhã desta terça-feira (06), na Reunião Extraordinária da Direção Nacional da CUT, realizada em Florianópolis, o presidente da Central, Vagner Freitas, confirmou um grande ato no próximo dia 13 na capital federal contra as pautas de retirada de direitos.

“Precisamos construir alternativas contra o desemprego e vamos lançar propostas à sociedade para alavancar o crescimento. Não será uma proposta ao governo, mas para os trabalhadores que sofrem diretamente com o desemprego”, disse o presidente.

O dirigente também falou sobre o pedido de impeachment do golpista Michel Temer e defendeu ainda uma eleição direta como saída para a crise política no país e a insegurança jurídica entre os poderes.

“Estamos protocolando o pedido de impeachment e pelas Diretas Já, a CUT juntamente com os movimentos sociais e personalidades da sociedade civil estão providenciando isso. Faremos uma moção contra o golpe à classe trabalhadora, contra essa Reforma da Previdência e apontaremos o caminho da retomada do crescimento no próximo dia 13 em Brasília”, reiterou Vagner.

O presidente ainda disse que a CUT rejeita a proposta do atual governo de Reforma da Previdência e está atenta para os golpes contra o povo brasileiro que estão por vir, como a reforma trabalhista, já sinalizada por Temer, da terceirização na atividade fim e a PEC da morte (PEC55, antiga 241), que continua em tramitação.

Numa análise sobre o ano de 2016, Freitas reforçou que foi um ano difícil para a esquerda e para o movimento sindical, entretanto, afirma que haverá mais enfrentamento e resistência em 2017. “Vamos intensificar as mobilizações nas ruas ainda este ano para virar o jogo para o ano que vem”, finalizou o presidente.

*Walber Pinto, de Florianópolis

Anúncios