Campanha Salarial: Em nova rodada de negociações, patrões apresentam um “pacote mixuruco” de contrapropostas

Nesta sexta-feira, 4, aconteceu mais uma rodada de negociações referente à Campanha Salarial. O sindicato patronal apresentou um “pacote mixuruco” de contrapropostas das cláusulas econômicas e mais uma vez se mostraram irredutíveis em conceder um valor justo na cesta básica.

Cesta básica

O valor oferecido pela empresa para a cesta básica é de R$ 175,00 para quem não tiver nenhuma falta no mês corrente, e R$ 110,00 para os trabalhadores que faltarem. Trata-se do mesmo valor oferecido na última rodada de negociações. “Além do valor ser muito pequeno, não houve nenhum avanço. Além disso, as empresas não querem discutir a retirada da cláusula que trata da punição por falta justificada.   Não concordamos com isso”, declara Miro Jacinto, presidente do Sindicato dos Calçadistas.

Salários

Com relação aos salários, houve um avanço no piso, que seria reajustado em média 7%. Nas demais faixas salariais, os patrões aceitam reajustar apenas de acordo com a inflação do período, sem nenhum centavo de aumento real.

Demais reivindicações

Os patrões propõe ainda que o valor do reajuste no piso salarial só será mantido, caso os trabalhadores concordem com o valor da cesta-básica e abra mão das demais reivindicações. “Não podemos abrir mão das reivindicações dos trabalhadores/as. Até a PLR, que foi uma conquista da Convenção, os patrões se recusam a negociar os valores”, ressaltou Flávio Coutinho, dirigente sindical.

Patrões querem antecipar Reforma Trabalhista

A absurda reforma trabalhista sancionada por Michel Temer (PMDB) valerá somente a partir do dia 11 de novembro, mas os “patrões do calçado” de Jaú querem antecipar sua vigência. Foi que os negociadores do Sindicato Patronal propuseram na maior “cara-de-pau”. Eles querem que a nova Convenção Coletiva garanta que as homologações possam ser feitas nas empresas, sem a obrigatoriedade do acompanhamento e fiscalização do Sindicato dos Trabalhadores. “O que os patrões querem é dar calote nas verbas rescisórias”, denuncia Miro Jacintho, presidente do Sindicato.

O caminho é a mobilização

Os calçadistas dem continuar mobilizados frente à Campanha Salarial. A próxima rodada de negociações será no dia 18 de agosto e a direção do Sindicato alerta que, caso os patrões permaneçam irredutíveis, a entidade deverá convocar os trabalhadores para aprovar um Plano de Luta que poderá incluir paralisações.

O Sindicato reforça ainda a importância da categoria se informar por meio dos canais de comunicação da entidade e divulgar os resultados das negociações. “A cidade inteira precisa saber sobre a falta de respeito com que os empresários do setor econômico mais importante e próspero da região está tratando seus funcionários”, conclama Jacintho.

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s